sexta-feira, novembro 19, 2010

Divagações...

Penso que o mais importante na vida é ser coerente e permanecer  fiel a si mesmo e isto muitas vezes cria um conflito e uma ambiguidade do ser fiel a si e ser fiel aos outros. Ultrapassada esta condição, ou uma maneira de agir com o outro, é importante ser fiel a este outro, demarcando no entanto as próprias limitações. E é exactamente por isto, que ser coerente é tão difícil ... Porque é necessário estarmos atentos a nós mesmos, aos nossos pensamentos e sobretudo estar atento às escolhas que fazemos.
Porque é que dizer "não" às vezes é tão difícil? Porque na pressa e veleidade de agradar ao outro, colocamos o nosso eu abaixo do contexto, em detrimento de algo que possa vir a nos beneficiar ou não. E isto é como a receita de um bolo... Se sigo os passos certinhos, faço a mistura como deve ser, mexo do modo correcto, "pastoreio" o cozedura da massa, concerteza o bolo sairá de acordo com a receita. Caso contrário, o bolo sai uma merda....
As relações podem descarrilhar por excesso de fermento ou farinha... Podem ficar doces demais por causa do açúcar... Podem ainda ficar duras, sem a fofura própria de uma massa... Não deixando o ar circular, apenas porque não se respeitou o espaço pessoal e o espaço do outro.

3 comentários:

João disse...

gostei especialmente da última linha...e percebo!

Thays de Liz disse...

Concordo plenamente! Quando se falta espaço para o ar circular, quano não há respeito as individualidades do outro, o 'bolo' só tende a desandar! Ficar sem gosto, ou então amargo!
Talvez, antes de tentar fazer bolo e ser fiel aos outros é fundamental ser fiel e leal a si mesmo! Só, ain, desabafo!

nina disse...

***
João, de facto!!

***
Thays, é por isso mesmo que por enquanto prefiro evitar fazer bolos - para não desandar! :)