sexta-feira, dezembro 19, 2008

Silence... Oh oh oh I feel you...


No silêncio das horas...
Da janela do quarto...
Fecha-se o pano
Cai a noite
E num vôo nocturno
Fuma-se um cigarro pelo nó dos dedos
Bebe-se o silêncio
Pelo nó da garganta
Bebida envenenada ...

Por dentro dos cabelos
Está alojado
(A raiz d) o medo
Cerro os olhos
Tranco os sonhos
Calo-me!
Silêncio,
Até que um raio rasgue o céu!
Silêncio,
Até que o teu juiz não me faça de réu!



(esta letra/ música é ... fantástica)

5 comentários:

horselover disse...

ben, tu me dit rien;;;; pas de nouvelle....

Ariane disse...

Eu não conseguiria fazer uma poesia tão linda...

nina disse...

Mr. Lippo j'ai acheté ton journal Público. L'écriture sera le 29 de décembre. Bisous et amuse-toi à Paris

nina disse...

Ariane, obrigada, mas não ácho que esteja assim tão linda...
Bjos

Ariane disse...

É que a gente que faz a poesia tem um filtro muito estreito. O critério que uso é o trabalho literário junto com a emoção. Mas, para mim a emoção é mais importante em se tratando de poesia. E a tua me emocionou muito! Sempre! Por isso, prefiro sempre quando posta os teus próprios textos!

Beijos, flor!