sexta-feira, dezembro 19, 2008

Fatiga


Fatiga-me este regresso ao passado
Este espinho cravado no peito
Este não sei o quê...
Não sei bem porquê porque não se vê...
Estes estranhos silêncios sequestradores
Que me roubam a calma
E o cheiro a cinzas calcinadas
(Ou a bolas de naftalina)
Rompendo do solo fértil da minha alma
Fatiga-me este passado que regressa
Sempre de ouvido à espreita
Que me põe de candeias às avessas
Como é longa a tristeza que me atravessa
Como é atroz e insuportável a dor
Das pedras (com) que me arremessas ...

6 comentários:

Ariane disse...

Querida Nina, te saúdo ainda na quinta, tu que já estás na sexta, para dizer-te que gosto muito do tom melancólico de tuas poesias e que neste teu canto muita alegria encontro! Abraços meus.

nina disse...

Obrigada querida amiga (se me é permitido). Fico feliz por saber... a melancolia (faz parte de mim e...) não é um sentimento mau, quando conseguimos captar a sua essência.
Mil beijos aqui do Atlântico.

O Profeta disse...

Sabia apenas que era um pequenino naquela longa noite
No celeste um luminoso sorriso me chamava
Lançou-me aos olhos raios de deslumbrante luz
Era a minha prenda, uma brilhante…Estrela Alva…

Um Mágico Natal para ti querida amiga que ao longo deste ano me visitaste. Que a Estrela Alva te ilumine neste Natal.



Mágico beijo

nina disse...

Retribuo se tu o dizes ... (ou não serias tua um Profeta!) Um luminoso e brilhante Natal também para ti pleno de Estrelas d' alvas
Bjo "estrelado"

Piloto Automatico disse...

Um beijo para ti Nina.
F

nina disse...

F. Um beijão enorme tb pa ti e continuação de um bom fds.