segunda-feira, dezembro 13, 2010

O primeiro dia do resto da minha vida ...

Nascer de novo. Todos precisamos nascer de novo. Todos os dias. Constantemente. Permanentemente. Dormir é como morrer. Acordar é como nascer. O amor talvez nem outra coisa seja. Por isso precisamos dele, por isso o procuramos. O desejo de nascer de novo.
Se não nascermos de novo não poderemos almejar o paraíso porque sem nascer de novo não saímos do Inferno. Pior ainda, nem nos apercebemos que estamos no Inferno, e embriagados por essa ignorância tornamo-nos o nosso próprio inferno. É necessário nascer de novo. Nem para outra coisa fazemos amor, senão para morrer, senão para nascer. Viver e morrer são a mesma coisa quando se nasce, quando se sabe, quando se ganha mesmo que se perca, quando se ama... Hoje é o primeiro dia. Este é o primeiro beijo. Esta é a (minha) primeira vez....

Um comentário:

João disse...

absolutamente.permite-me recomendar a leitura do clássico O Erotismo de georges bataille