sexta-feira, fevereiro 16, 2007

FELICIDADE

Meu querido,
Quando saíste disseste “estou farto, vou procurar a Felicidade” e foste e eu pensei que ias e não demoravas e voltavas, como das outras vezes em que procuraste tantas outras mulheres e eu ficava sozinha e depois chegavas e dizias “as outras não significam nada tu és o meu amor” ou " TU ÉS ESPECIAL" e eu discutia contigo (ou fingia que discutia) porque todas as discussões terminavam comigo nos teus braços e tu nos meus e dizias baixinho “perdoa-me” e pedias-me carinho e eu dava, mas foste procurar a Felicidade e não voltaste!
Esperei-te para te perdoar e passaram as horas e os dias e os meses e os anos e eu esperando e sem saber quem era a Felicidade porque nunca me disseste o apelido ou sequer onde morava e peguei na lista telefónica e liguei para todos os números e perguntei “é aí que mora a Felicidade?” em muitos números não havia nenhuma Felicidade, nos poucos que havia uma, nenhuma era a tua e hoje recebi uma carta tua a dizer perdi a Esperança”. Por isso não te encontrei e dei-me conta que tinha procurado na letra errada! Afinal ela não se chamava Felicidade mas sim Esperança!

Um comentário:

Paulo disse...

Belíssimo como todos os anteriores, mas nunca deixes morrer a esperança é o que nos mantém vivos.
Beijo DOCE para um doce como tu