domingo, outubro 01, 2006



CANSAÇO
Tudo o que faço
É escasso
Compasso
Erro crasso
No espaço
Mas sigo a passo
Refaço
Sem qualquer traço
Disfarço
Este cansaço
E desfaço
Um abraço

4 comentários:

Blackberry disse...

antes de mais, obrigado pela passagem pelo meu blog...
também gsotei bastante de passar por aqui, poque o teu blog é do estilo que eu gosto: design e escrita simples mas muito bonito.
beijinhos *

Anônimo disse...

Voltaste
Ainda bem que voltaste
As saudades que eu sentia
Não podes avaliar
Voltaste
E á minha vida vazia
Voltou aquele alegria
Que só tu lhe podes dar
Voltaste
Ainda bem que voltaste
Embora saiba que vou
Sofrer o que já sofri
Cansei
Cansei de chorar sósinho
Antes mentiras contigo
Do que verdades sem ti.
Voltaste
Que coisa mais singular
Eu quase não sei cantar
Se tu náo estás a meu lado
Voltaste
Já não me queixo nem grito
És o verso mais bonito
Deste meu fado acabado
Voltaste
Ainda bem que voltaste
O passado é passado
Para quê lembrar agora
Voltaste
Quero lá saber da vida
Quando dormes a meu lado
A vida dorme lá fora.


Este poema não é da minha autoria, mas adoptei-o como se meu fosse.

Elfo

Anônimo disse...

Voltaste
Ainda bem que voltaste
As saudades que eu sentia
Não podes avaliar
Voltaste
E á minha vida vazia
Voltou aquele alegria
Que só tu lhe podes dar
Voltaste
Ainda bem que voltaste
Embora saiba que vou
Sofrer o que já sofri
Cansei
Cansei de chorar sósinho
Antes mentiras contigo
Do que verdades sem ti.
Voltaste
Que coisa mais singular
Eu quase não sei cantar
Se tu náo estás a meu lado
Voltaste
Já não me queixo nem grito
És o verso mais bonito
Deste meu fado acabado
Voltaste
Ainda bem que voltaste
O passado é passado
Para quê lembrar agora
Voltaste
Quero lá saber da vida
Quando dormes a meu lado
A vida dorme lá fora.


Este poema não é meu, mas adoptei-o como se o fosse.

Elfo

Anônimo disse...

Voltaste
Ainda bem que voltaste
As saudades que eu sentia
Não podes avaliar
Voltaste
E á minha vida vazia
Voltou aquele alegria
Que só tu lhe podes dar
Voltaste
Ainda bem que voltaste
Embora saiba que vou
Sofrer o que já sofri
Cansei
Cansei de chorar sósinho
Antes mentiras contigo
Do que verdades sem ti.
Voltaste
Que coisa mais singular
Eu quase não sei cantar
Se tu náo estás a meu lado
Voltaste
Já não me queixo nem grito
És o verso mais bonito
Deste meu fado acabado
Voltaste
Ainda bem que voltaste
O passado é passado
Para quê lembrar agora
Voltaste
Quero lá saber da vida
Quando dormes a meu lado
A vida dorme lá fora.


Este poema não é meu, mas adoptei-o como se o fosse.

Elfo