terça-feira, junho 22, 2010

Felicidade

«Felicidade é ser
Felicidade é estar
Felicidade é amar
Felicidade é tocar alguém, e sentir e amar e beijar e cheirar e “rasgar” esse alguém até dois serem um
Felicidade é estar só
Felicidade é ouvir o silêncio
Felicidade é perceber o vazio e conseguir tocá-lo
Felicidade é olhar
Felicidade é falar com os olhos
Felicidade é chorar
Felicidade é transmitir no exterior o nosso interior
Felicidade é nascer e não entender a morte
Felicidade é acreditar nos outros apesar de estar só
Felicidade é lutar pela nossa identidade qualquer que ela seja e mostrar aos outros a nossa verdade
Felicidade é lutar pela vida quando a morte nos come partes do corpo
Felicidade é entender que a Terra é um ponto no Universo e nós pensamos
Felicidade é gostar de ser imperfeito num Mundo onde somos mortais
Felicidade é arrepiar-nos com a própria mão
Felicidade é deixarmo-nos levar pelas emoções dos outros
Felicidade é ouvir o Hino Nacional ou uma balada e sentir o sangue quente a correr nas veias
Felicidade é entender que a diferença entre ricos e pobres são adereços
Felicidade é alterar os conceitos
Felicidade é viver a três porque a dois é pouco
Felicidade é dormir a pensar e viver a sonhar
Felicidade é dormir no sofá e comer na cama
Felicidade é transformar a TV num aquário e o carro num banco de jardim e a gravata num guardanapo e o bidé numa floreira e pintar paredes com estrelas do céu e perceber que o nosso mundo é só nosso
Felicidade é ter prazer sem erecção
Felicidade é gritar por amor
Felicidade é chegar ao fim e morrer com alguém ao lado que nos dá a mão e nos fecha as pálpebras com a mesma mão que nos dá calor
Felicidade é tanta coisa e tanta gente pensa que é impossível ...»

por Jorge Oliveira,
in Revista CAIS nº. 59

Um comentário:

Meus pensamentos disse...

adorei foi o que poucos pensam e mais raramente o que falam gostei muito